As mentiras mais contadas no currículo

Muitas pessoas sentem-se tentadas a mentir ou a exagerar as informações do currículo. Contudo, esta opção não é a melhor para conseguir um emprego. Veja, dentre muitas, as mentiras mais contadas no currículo.

 As mentiras mais contadas no currículo

As mentiras mais contadas no currículo

A lei não condena alguém que mentiu de forma visível no seu currículo. No entanto, isso não quer dizer que devemos optar por este caminho.

Não o devemos fazer, porque mesmo que a verdade não veja a luz do dia, na altura de verificar a nossa informação e o nosso desempenho, a empresa poderá descobrir as mentiras do currículo.

É uma questão pessoal, a qual nos qualifica como pessoas íntegras e corretas. Para ser um bom profissional não basta ter experiência e conhecimentos, mas também ter valores e aplicá-los em todas as circunstâncias.

As mentiras mais contadas são:

  • Idiomas – Falar que tem uma fluência em alguma língua estrangeira, em sua maioria o inglês, e na primeira pergunta não sabe responder.
  • Cursos – Todos os cursos necessitam de certificado de participação, caso contrário, não se pode colocar no currículo.
  • Formação – Falar que é formado, quando na verdade os cursos ainda estão sendo realizados.
  • Período em que trabalhou para a empresa – É uma dos primeiros pontos vistos pelos recrutadores, como também, onde mais aparecem as mentiras. O choque e o aumento nas datas são os mais comuns.
  • Motivo da saída da empresa – Com um simples telefonema é fácil saber o real motivo pelo qual foi demitido.
  • Idades, filhos e estado civil – Na contratação alguns documentos solicitados podem dizer sua real situação.

Veja também